Linux

Ubuntu 18.04 configurando DNS 127.0.0.53 – Como resolver

tutorial mod_rewrite | heartbeat ou ucarp | compilar o kernel

Ubuntu configurando DNS diferente do desejado, hum? É uma vergonha ter que escrever um artigo para algo tão simples, mas inevitável.

Se seu problema é no Ubuntu 19, leia esse artigo.

Faz tempo que não escrevo nada sobre distribuições Linux porque realmente peguei nojo de todas. Desde que o systemd foi implementado, o que era simples ficou trabalhoso, sem necessidade.  O nome da interface virou um lixo inútil e pra remediar eu já escrevi um artigo a respeito. Agora o problema da vez é a resolução de nomes.

Se você tentar fazer do modo padrão, que era editando o arquivo /etc/resolv.conf e incluir suas configurações manualmente, funcionará durante o tempo de leasing. Mas o problema maior é quando se tem um servidor DNS configurado para resolver nomes na rede local, por exemplo. É o meu caso.

Já escrevi dois artigos sobre configuração de servidor DNS, sendo um deles para Raspberry. Deve funcionar no desktop, até que deem uma bela cagada nisso também. Vamos à resolução do problema.

configurando DNS

O Ubuntu usa o netplan, em conjunto com outra porcaria chamada systemd-resolved. O arquivo /etc/resolv.conf agora é um link simbólico para a aberração que controla seu conteúdo. Desative o serviço, desfaça o link simbólico e instale o resolvconf.

Após desfazer o link simbólico, crie o arquivo /etc/resolv.conf e adicione os parâmetros desejados. No meu caso:

Experimente. Tudo ok? Instale o resolv.conf. O processo todo é o seguinte:

Antes as interfaces eram configuradas através do arquivo /etc/network/interfaces. Agora tudo está esparramado pelo sistema. Uma das coisas que entraram já faz tempo é o wpasupplicant. Por sorte, nada mais deverá ser configurado, além dos já citados. No meu roteador já está especificado o domínio e o DNS, isso deve ser alimentado pela configuração do NetworkManager.

Agora, edite a b0st4 do arquivo contido no diretório /etc/netplan. No meu caso, 01-network-manager-all.yaml. Tive que ler a man page do netplan para ver como configurar esse arquivo, mas se quiser procurar mais informações, talvez aqui seja o suficiente. O que era apenas duas linhas, virou isso:

A partir de wifis, deve-se configurar a interface (cujo nome bizarro pode ser obtido através do comando ifconfig), configuração do DHCP, domínio e endereços de DNS. Esse arquivo deve ser identado como acima, senão dará erro. Depois de configurar o arquivo, aplique as configurações:

Reconecte à sua rede WiFi e veja se o arquivo /etc/resolv.conf contém as configurações desejadas.

“Por que você não faz seu próprio Linux?”

Sempre tem um bando de fanáticos pra achar ruim uma crítica e essa é a resposta meio padrão que eles dão a uma reclamação. Se você é mente aberta, provavelmente não se ofenderá com o que estou escrevendo. Os usuários mais antigos de Linux também não.

Uso Linux desde 1997, muitas evoluções incríveis foram feitas no sistema. Na época, nem gravador de CD funcionava, lembro-me até de ter escrito um tutorial para recompilar o kernel habilitando emulação de SCSI em dispositivos IDE, de modo que consegui colocar meus gravadores de CD pra funcionar na época. Hoje é mais fácil utilizar Linux do que Windows, mas empresas como a Canonical estão sendo nocivas para o sistema, criando coisas desnecessárias para complicar o que sempre funcionou bem. Então, não faço meu Linux por causa do mantenimento, mas não gosto de fazer nem atualizações de sistema porque acontece de quebrar coisas que estavam funcionando bem, principalmente no que se refere a ambiente de desenvolvimento. E a solução atual pra isso é utilizar um container Docker, porque não dá pra confiar em mais nada.

Enfim, o resultado da configuração foi esse:

configurando DNS

Vamos ver qual será o próximo puzzle.

2 comments

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: