24 de setembro de 2021

Do bit Ao Byte

Embarcados, Linux e programação

Qual o melhor arduino para comprar?

Qual o melhor Arduino para comprar

Qual o melhor Arduino para comprar? – Depende. Mas o primeiro fator a considerar é que Arduino é placa de prototipagem, não é um produto para implementar projetos, ainda que seja possível. Mas devemos considerar outros fatores, como veremos em seguida.

Arduino para iniciantes – UNO

O Arduino mais popular é o UNO. Utilizando uma MCU Atmega328P e com um formato retangular, o Arduino UNO tem como adicional a capacidade de comportar os chamados “shields”. Shields são placas que podem ser conectadas ao Arduino utilizando todos os slots de GPIO. De qualquer modo, será necessário conhecer os pinos que serão utilizados no shield para escrever seu código e assim o trabalho acaba sendo semelhante ao conectar dispositivos por jumper – e daí tem um ponto negativo; um shield custa mais do que um módulo do mesmo recurso, por exemplo, um módulo relé. Sendo assim, os shields não justificam a compra de um UNO.

O Arduino UNO tem apenas 1 serial por hardware, que é a utilizada pela porta USB, portanto os pinos 0 e 1 (TX e RX) não podem ser utilizados simultaneamente.

A maioria dos tutoriais de Arduino tem como base o UNO, o que ajuda na familiarização com a placa. Para quem está iniciando, isso sim pode ser fundamental. A última consideração é o cabo, cujo conector USB é o mesmo utilizado em impressoras, devendo então ser considerado a aquisição de um cabo reserva, já que não é atualmente um dos mais populares conectores USB.

Arduino Leonardo

O Arduino Leonardo utiliza uma MCU Mega32U4. Basicamente temos os mesmos recursos do Arduino UNO, mas com a vantagem de ter uma segunda serial por hardware, podendo assim utilizar os pinos TX e RX e monitorar a comunicação serial pela USB. Para iniciantes acredito que seja uma vantagem extra e particularmente não entendo a razão de não ser o Leonardo o Arduino mais popular, já que do mesmo modo que o UNO, seu formato suporta os mesmos shields. A vantagem extra é o conector micro-usb, sendo que qualquer cabo de carregador de celular servirá como interface.

Arduino Pro Mini

Essa é uma das menores placas Arduino. É bastante vantajoso para projetos que exijam pouco espaço e peso, mas traz uma desvantagem; para programá-lo é necessário um adaptador USB-Serial/FTDI. Não é custoso nem complicado de usar, mas talvez não seja confortável para iniciantes. Para os demais usuários, é uma diversão à parte. Sua MCU é um Atmega328 e seu custa é aproximadamente 30% do valor de um Arduino UNO – ou seja, vale muito a pena, já que um adaptador FTDI sai pelo mesmo preço e poderá ser utilizado em muitas placas.

Arduino Pro Micro

O Arduino Pro Micro é uma incógnita. Ele é maior que o mini! Mas ele traz algumas vantagens sobre o Mini, como uma porta micro-usb e uma MCU Atmega32U4. Gosto bastante dessa placa e já usei para fazer dispenser para drone, já que quanto menor o peso, mais carga poderia ser transportada.

Arduino Nano

E das placas Arduino pequenas, essa é a maior. Ela utiliza uma MCU Atmega328 e seu conector é mini-usb – que também já não é um conector muito popular atualmente e os cabos que encontramos hoje são quase inflexíveis. Mas é uma das placas que tenho em maior quantidade, pois cai bem para projetos em que a conexão do cabo pode ser feita muitas vezes e nesse ponto o micro-usb perder, pois é bem mais frágil.

Trinket e Digispark

Ambas utilizam o Attiny85. Essas placas não são da família Arduino, mas também utilizam MCU Atmel, por isso achei importante citá-las.

Seus recursos são limitados, mas dependendo do projeto elas podem ser suficientes. A Trinket tem porta micro USB e a Digispark vai conectada diretamente à porta USB. A desvantagem acaba sendo seu preço, extremamente próximo a um Arduino desses pequenos, que contém muitos recursos a mais.

Arduino Mega

Essa é uma placa pra quem tem “fome de GPIO”. É uma placa repleta de recursos; algumas UARTs, alguns barramentos I2C e SPI e com a MCU Atmega2560. Apesar de ser uma placa “enorme”, a parte superior comporta os shields que servem no UNO, mas ela também tem shields próprios. Só que aí entramos novamente na questão custo/benefício. Seu custo é similar a um Arduino UNO, tanto na versão “gigante” quanto na Mini, por isso considero uma placa vantajosa sobre o Arduino Leonardo e Arduino UNO. Sem dúvidas seria minha principal opção, se tivesse que escolher – e escolheria a Mini, que tem porta micro-usb, enquanto a placa maior usa o mesmo conector de impressora do Arduino UNO.

Arduino ESPLORA

Agora entraremos em um “campo minado”. Existem alguns modelos específicos de Arduino, mas que por não se popularizarem, acabam saindo de linha. O ESPLORA é um destes casos, mas ele não é realmente uma placa de prototipagem.

Utilizando uma MCU Atmega32U4, essa placa vem repleta de recursos para estudo. Isso significa que restam poucos GPIO para uso geral, mas para quem quer aprender, é uma excelente opção. Mesmo estando fora de linha, sua MCU é a mesma do Leonardo, de modo que não faltará suporte – isso, se encontrar para vender ainda. Ela vem com microfone de eletreto, joystick analógico, 4 botões, LED RGB, LED de alto-brilho, conectores externos, slot para display (próprio), potenciômetro slider e buzzer. Ideal para crianças e ainda serve como joystick para games, já que essa MCU tem biblioteca para emular o comportamento.

Arduino 101 Industrial

Essa placa me parte o coração. Se trata de um híbrido, com Atmega32U4 e um processador MIPS, rodando Linux. O controle pode ser feito a partir de qualquer um dos processadores. Tem bastante GPIO e uma porta micro-usb. Ela é linda, mas não caiu na graça do povo. Se encontrar para comprar, recomendo, a experiência é extremamente agradável e já escrevi diversos tutoriais sobre a Arduino Industrial 101.

Arduino standalone

Diversos makers criam placas standalone, baseadas na MCU Atmega328P. É o caso da Maxblitz, uma das mais apaixonantes placas que já usei. O circuito todo está no canto do lado do conector de alimentação. Diferente de muitas standalone que são basicamente um UNO, ela possui um buzzer e um expansor de IO builtin, além de LED de uso geral e LED de alimentação. Tem também um botão de uso geral, slot para RF 2.4GHz NRF24L01 e slot para ESP-01, com plaquinha adaptadora/gravadora própria. É realmente uma obra-de-arte. Por essa razão, escrevi diversos artigos bem legais com ela, inclusive já vi projeto reproduzindo a roleta eletrônica. Vale a pena conferir.

E agora? Qual o melhor Arduino para comprar?

Caberá a você decidir, conforme o que tem em mente, mas se me permitir uma recomendação genérica, desconsiderando suas possíveis necessidades, eu sugeriria a Maxblitz. Basta escolher Arduino UNO na IDE do Arduino e seguir os tutoriais no link mais acima.

Todas as placas citadas nesse artigo possuem ao menos 1 artigo escrito aqui no blog, que já conta com quase 900 artigos (até a data de publicação deste artigo de apresentação das placas). Se estiver com receio, não tema. Nesse blog você encontrará artigo para praticamente todos os materiais populares, além de contar com recomendações de sites para compras seguras, com os parceiros do blog, dispostos em cada artigo.

Existem diversas outras placas Arduino, que você pode conferir na loja oficial.

Vídeo

Assim que editado, o vídeo estará no canal. Não será nada técnico, apenas a apresentação das placas, como feito nesse artigo, mas com alguns efeitos especiais de edição para tornar o breve vídeo mais agradável. Aproveite para se inscrever, se não for inscrito em nosso canal no Youtube!

Hora de ir às compras!