7 de dezembro de 2021

Do bit Ao Byte

Embarcados, Linux e programação

Compartilhamento de rede com SAMBA

compartilhamento de rede

Vou confessar que eu nem sabia se ainda existia o SAMBA, porque há muitos anos tenho trabalhado apenas com ambientes de servidores de alta disponibilidade, o que não inclui Windows. Mas se quer um compartilhamento de rede para sistemas operacionais mistos, o SAMBA é a solução mais rápida e simples.

O que é SAMBA?

SAMBA é um padrão de interoperabilidade com Windows, que roda em Linux e Unix. Possui a versão client e server, de modo que podemos acessar um compartilhamento de rede em um computador Windows, ou então criar um compartilhamento de rede que o Windows possa acessar. É um projeto bastante antigo, de 1992 e constantemente é atualizado. Usa o protocolo SMB/CIFS de DOS a WIndows, OS/2, Linux e mais um monte de sistemas que fazem uso das ferramentas GNU. Com SAMBA podemos colocar um desktop Linux no Active Directory, servir arquivos e impressão. Vale lembrar que o suporte se estende ao Raspberry, cujo sistema padrão é um Linux compilado para a arquitetura ARM.

Configurar compartilhamento de rede com SAMBA

A configuração mínima é muito, muito simples. No artigo anterior relacionado vimos como fazer um storage usando NFS. Vou usar o mesmo storage, adicionando também o compartilhamento SAMBA. Mas também já mostrei como usar o SSHFS, que é mais uma opção de compartilhamento; e tem outros!

Instalação do SAMBA

A instalação é um processo padrão e como sempre, meu setup se baseia em distribuições GNU/Linux Debian ou variantes. Isso inclui Ubuntu, Mint (que é uma variação da variação) e outros que usem apt como gerenciador de pacotes.

Para instalar o SAMBA, faça:

sudo apt-get update && sudo apt-get install samba

Configuração do SAMBA

Podemos usar um mesmo diretório para diferentes serviços. Isso é, se estivermos usando NFS e SAMBA, ambos podem ter acesso ao mesmo diretório, afinal ambos são apenas uma camada de software que estão lá pra layer 7 do modelo OSI. O que pode ocorrer é colisão no acesso; dois usuários mexendo simultaneamente no arquivo certamente acabará por versões incompatíveis. Nesse caso, opto por separar os diretórios, que no final terão fins distintos. Em suma, escolha um diretório para fazer seu compartilhamento.

Edite o arquivo /etc/samba/smb.conf usando sudo e inclua isso ao final do arquivo:

[storage]
    comment = Samba no storage
    path = /home/djames/SAMBA
    read only = no
    browseable = yes
    guest ok = yes
    guest only = yes
    writeable = yes
    directory mask = 0777

Coloque o nome que quiser para a sessão. Eu escolhi storage. Coloque o caminho para o compartilhamento. No meu caso, usei /home/djames/SAMBA.

Tem parâmetros redundantes? Bom, tive problemas pra configurar. Tanto que cheguei a duvidar que as coisas eram iguais. Recorri a um artigo que escrevi em 2005 para a BR-Linux.org, que era a configuração de um PDC Samba com quotas de disco. Como o acesso é publico e é só um diretório compartilhado, 95% do artigo é descartável nesse caso. Enfim, tanto mexi que travei o sistema. O vídeo deverá mostrar de uma maneira tragicômica o que aconteceu.

Após feito isso, reinicie o serviço nmbd e smbd:

sudo su
service nmbd restart
service smbd restart

Depois abra o gerenciador de arquivos e navegue pela rede no lado esquerdo:

compartilhamento de rede

Pronto! A configuração foi simples, o problema foi o processo. Assista o vídeo em nosso canal DobitaobyteBrasil no Youtube, um vídeo bastante diferenciado dessa vez, acredite. E se inscreva, please!