Arduino

Serial no Digispark

Serial no Digispark

Escrevi alguns artigos sobre o Digispark (que não possui serial por hardware), mas não escrevi nenhum artigo sobre como utilizar comunicação serial com ele. Agora vem a calhar porque o próximo artigo eu provavelmente o utilizarei em um projetinho simples e interessante.

Tutoriais sobre o Digispark

Se não leu os artigos anteriores relacionados ao Digispark, recomendo as leituras:


Bibliotecas para o Digispark

Do mesmo modo que outras bibliotecas, temos no mínimo essas duas opções para baixá-las. Primeiramente, entre no diretório de bibliotecas do Arduino:

Em seguida, opte por uma destas.

Clonando o repositório:

Baixando o arquivo master:

Depois, mova os diretórios relacionados às bibliotecas da MCU.

 

 

E remova o diretório DigistampArduino.

 

Serial no Digispark

Adicionando a board

Para adicionar as boards Digispark, Digispark Pro e DigiX, vá em File -> Preferences e adicione essa URL após uma vírgula:

Utilizando Digispark no Ubuntu

Eu estou utilizando no Debian Stretch, não tive problemas em subir o sketch para a board, mas vi que no Ubuntu pode haver problemas relacionados ao udev. A documentação da Digistamp não é muito boa e encontrei erros no próprio sketch de exemplo (citado mais adiante), então alguns cuidados ficam por conta do usuário.

Primeiramente, crie uma excessão para o dispositivo. Crie um arquivo de regras:

Eu uso o vim para editar arquivos do sistema, mas não recomendo para iniciantes. Se quiser descobrir o porquê, experimente.

Dentro desse arquivo, coloque o seguinte conteúdo:

Recarregue o udev:

Mais uma vez, não tive que instalar nada, mas pode ser que surja um problema relacionado à USB. Nesse caso, procure instalar a libusb também:

E, em última instância, se ainda continuar a ter problemas, faça o menos recomendado. Execute a IDE do Arduino como root. Para tal:

Essa Digispark que estou utilizando foi selecionada no menu Boards como Digispark (Default – 16.5MHz).

Não conecte a Digispark à USB. Clique em Upload e aguarde até que seja solicitada a conexão. Haverá um timeout de 60 segundos, por isso, não precisa se desesperar para conectá-la à porta USB.

Suba um sketch vazio para testar. Depois comece a codificar.

Usando a Serial no Digispark

Agora já estamos prontos para interagir com outros periféricos. Não sei dizer qual a velocidade máxima suporta no softwareSerial, mas 9600 é uma boa ideia para evitar problemas.

Um exemplo básico para imprimir um teste:

Conecte o Digispark a outro dispositivo como por exemplo, um Arduino UNO e divirta-se!

Siga-nos no Do bit Ao Byte no Facebook.

Prefere twitter? @DobitAoByte.

Inscreva-se no nosso canal Do bit Ao Byte Brasil no YouTube.

Nossos grupos:

Arduino BR – https://www.facebook.com/groups/microcontroladorarduinobr/
Raspberry Pi BR – https://www.facebook.com/groups/raspberrybr/
Orange Pi BR – https://www.facebook.com/groups/OrangePiBR/
Odroid BR – https://www.facebook.com/groups/odroidBR/
Sistemas Embarcados BR – https://www.facebook.com/groups/SistemasEmbarcadosBR/
MIPS BR – https://www.facebook.com/groups/MIPSBR/
Do Bit ao Byte – https://www.facebook.com/groups/dobitaobyte/

Próximo post a caminho!