Conheça a MIPS VoCore 1

Sempre gostei de MIPS por razões específicas, como o tamanho reduzido, por não precisar de dissipação, Por oferecer recursos iguais ou similares de diversas boards ARM etc. Mas a VoCore, ah, essa é muito, muito diferente. Ela é minimalista demais, preenchendo todos os 25x25mm de recursos diversos.

Com 360MHz de clock e uma memória de 133MHz e 32MB, essa poderosa placa disponibiliza uma conexão wifi 2.4GHz, 802.11n a 150Mbps.

Onde comprar

Você pode comprar diretamente no site oficial, onde você encontrar produtos periféricos para a VoCore 1 e 2. Nos próximos artigos mostrei um bocado mais.

Pinout

Como você pode ver no pinout a seguir, ela possui JTAG, I²C, USB, SPI, UART e uns GPIO. Fala sério; dá pra acreditar que uma placa desse tamanho roda Linux? – Eu diria que não, mas ela roda sim. Um WRT com uBoot, tudo disponível para download, caso deseje fazer alguma modificação no sistema.

VoCore pinout
VoCore pinout

A pinagem disposta é adequada para a conexão de um micro SD, duas portas USB e uma porta RJ45 para conexão de rede cabeada, principalmente para o caso de você querer transformá-lo em um roteador wifi.

Se desejar os recursos descritos, você tem duas opções; a primeira e mais simples, adquirir um compacto dock com todas as portas dispostas sobre ele. A segunda opção é você tirar a pinagem diretamente dele para um circuito feito ou prototipado. Você pode até conectá-lo a uma protoboard, mas as ilhas para os pinos são finas como as pernas dos resistores, que aliás, é a única opção que encontrei para fazer a conexão desse tutorial. Se resolver fazer solda, tenha fluxo de solda e uma estação de solda com ponta agulha.

Powering





Olhando assim sei que dá um pouco de medo aos iniciantes e aos preguiçosos, porque está claro que não tem sequer 1 conector pronto, mas para começar utilizar o VoCore na hora tudo o que você precisa é energizá-lo. E isso é feito de maneira muito simples, apenas conectando os pinos de alimentação e ground dispostos à esquerda, na base dos pinos da coluna esquerda de pinos.

A sugestão é que a alimentação seja feita por uma fonte estável de energia, no caso do site, indicado um carregador USB, porém eu acho melhor uma fonte como a que citei nesse outro artigo, ou uma destas deste outro artigo.

Oito maneiras práticas de obter tensão adequada na protoboard

A tensão de entrada não deve em hipótese alguma exceder a 6V e também não deve ficar abaixo de 3.5V, portanto uma fonte de 5V é a forma ideal de alimentar a VoCore via cabo ou então opte por uma bateria Li-Ion 18650 3.7V, que é a mesma utilizada em power bank. Se você tiver um power bank, também é uma opção, mas será necessário que você trabalhe a conexão entre o power bank e o VoCore.

A opção de uma bateria de li-ion acredito que seja a melhor para o caso de mobilidade, considerando que a carga pico pode chegar a 400mA. No caso de utilizar uma fonte ou um cabo USB, você não deverá encontrar problemas.

O LED da VoCore acende ao início e logo apaga, depois de alguns segundos retorna e apaga novamente. No início achhei que fosse mal contato até perceber que a temperatura estava um pouco elevada para estar desligada.

Wiring

Como esse post é introdutório ao VoCore 1, fiz somente o wiring básico pra colocá-lo pra funcionar, mas utilizei um dos pontos de 5V que deixo sobre minha bancada, vindo direto da fonte de alimentação geral. Mas você precisará apenas de:

  • 1 VoCore
  • 2 cabos jumpers (tem um modelo que não entra no furo, nesse caso, adapte pernas de resistores)
  • 1 bateria li-ion 18650 3.7V que esteja carregado com tensão acima de 3.6

Seguindo o pinout olhando para o CI quadrado da placa, você tem à esquerda nas últimas 4 ilhas GND, VCC,VCC e GND respectivamente. Para haver espaço entre eles afim de avitar curtos, conecte o GND à última ilha e o VCC ao antepenúltimo pino. Posteriormente, prenda-os à bateria li-ion.

Se você não tem em casa uma bateria dessas, deveria. É muito barata, mas tão barata que você encontra em lotes de 10 no ML e ainda assim o frete acaba sendo maior do que o preço da bateria. Mas se você tiver um power bank em casa, pode abrí-lo e conectar os fios diretamente a ele. Se você não quiser abrir o power bank mas tem um cabo USB sobrando, corte uma das pontas e pegue o par relacionado à tensão que deve ser preto e vermelho ou branco e vermelho. Para testar com o multímetro, use a seguinte referência:

USB pinout
USB pinout

Coloque o multímetro em modo de continuidade e teste o pino 1 para encontrar o VCC. Depois, teste o pino 4 para encontrar o GND.

Conectando ao VoCore

VoCore
VoCore

Essa parte é tão simples quanto conectá-lo à alimentação, bastando esperar algo em torno de 30 segundos após energizá-lo e então procurá-lo em sua lista wifi por um hotspot nomeado VoCore. Estabelecendo uma conexão wifi com ele, você terá como opção uma conexão ssh onde o usuário é root e a senha é vocore. Outra opção é conectar pelo browser no IP 192.168.61.1, utilizando o mesmo usuário e senha e divertir-se com a interface:

 

Conexões ao VoCore
Conexões ao VoCore

Você pode tranquilamente transformá-lo em um roteador doméstico, com a vantagem de remover da sua sala aquele roteador padrão que não combina com nada. Ou pode simplesmente criar uma rede paralela para visitas, ou utilizá-lo como station.

Conexão TTL (UART)

Se desejar fazer uma conexão serial utilizando a USB, a pinagem é simples também:

VoCore USB-TTL
VoCore USB-TTL

A velocidade de conexão é de 57600 8n1, conforme descrito na documentação.

Desenvolver para a VoCore





Como todos os meu tutoriais, este também é baseado em Linux. No mínimo, você precisará instalar um Linux em uma máquina virtual utilizando por exemplo Virtualbox. Os pacotes necessários para desenvolver para o sistema dessa placa devem ser então instalados:

E clone o repositório gir do projeto:

Será necessário selecionar a plataforma alvo no menu de desenvolvimento do OpenWRT, então faço:

Depois de feito, basta digitar “make” para iniciar a compilação. Feita a compilação, inicie o upload do firmware e pronto. E não fique com medo, é fácil reparar um brick no Vocore, mas isso ficará para outro artigo, assim como sua utilização com OpenCV para visão computacional e a versão 2 da VoCore !

VoCore em 5V
VoCore em 5V

Inscreva-se no nosso newsletter, alí em cima à direita e receba novos posts por email.

Siga-nos no Do bit Ao Byte no Facebook.

Prefere twitter? @DobitAoByte.

Inscreva-se no nosso canal Do bit Ao Byte Brasil no YouTube.

Nossos grupos:

Arduino BR – https://www.facebook.com/groups/microcontroladorarduinobr/
Raspberry Pi BR – https://www.facebook.com/groups/raspberrybr/
Orange Pi BR – https://www.facebook.com/groups/OrangePiBR/
Odroid BR – https://www.facebook.com/groups/odroidBR/
Sistemas Embarcados BR – https://www.facebook.com/groups/SistemasEmbarcadosBR/
MIPS BR – https://www.facebook.com/groups/MIPSBR/
Do Bit ao Byte – https://www.facebook.com/groups/dobitaobyte/

Projetos Arduino e Eletrônica – https://www.facebook.com/groups/projetosarduinoeletronica/

ESP8266 BR – https://www.facebook.com/groups/ESP8266BR/

Próximo post a caminho!

Comments

comments

Djames Suhanko

Djames Suhanko é Perito Forense Digital. Já atuou com deployer em sistemas de missão critica em diversos países pelo mundão.Programador Shell, Python, C, C++ e Qt, tendo contato com embarcados ( ora profissionalmente, ora por lazer ) desde 2009.

Um comentário em “Conheça a MIPS VoCore 1

Comentários estão encerrados.